Textos

QUEM NÃO É VISTO, NÃO É LEMBRADO
              QUEM NÃO É VISTO, NÃO É LEMBRADO

              Nos dias de hoje sem a mídia ficamos isolados. Isso é fato, e todo mundo sabe. Se a pessoa souber fazer algo diferente e se apresentar em algum programa de televisão, tipo calouros, dali em diante as portas se abrem. Temos no Brasil e no mundo pessoas famosas que passaram por esse processo. Aí inclui uma infinidade de artistas nas mais diversas áreas: cantores, atores, humoristas, desportistas, poetas, e muitos outros. É um poder incrível que a mídia exerce na sociedade. A maioria dos músicos hoje reconhecidos nacionalmente e até fora do Brasil, só ficaram famosos porque tiveram uma oportunidade de se apresentar num programa desses, de grande audiência.

              Se estudarmos a história dos antigos talentosos, podemos perceber que foram só reconhecidos anos mais tarde. Depois que morreram.  Exemplo: Mozart, Bethoven... Luiz Vaz de Camões. Este último foi o grande poeta português. Diz a história, que morreu pobre e esquecido. Nos seus últimos dias, morou de favor no porão de um bar. Mesmo tendo escrito a história de Portugal em forma de versos, ninguém lhe deu o devido valor. Poderíamos citar muitos outros.

              A frase “quem não é visto, não é lembrado”, pode ser mudado para: quem é visto é lembrado, a partir do momento que alguém projeta em sua mente em ser famoso, a fama acontece. A tv, a internet...  oferece esse tipo de recurso. Essa é a importância da mídia na sociedade.

(Christiano Nunes)

Ps.: O texto acima, foi uma das crônicas classificadas no concurso literário 2011, da Secretaria da Cultura de São José dos Pinhais - Pr
Christiano Nunes
Enviado por Christiano Nunes em 13/11/2011
Alterado em 13/11/2011
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr