Textos

noticia_681822_img1_30-homens.jpg
Imagem: www.bemparana.com.br
 
QUERO 30 HOMENS CASTRADOS SEM ANESTESIA
 

          Diante da notícia nos últimos dias do absurdo do estupro coletivo, foi uma das maiores covardias que já ouvi falar.  Foram feitos protestos pelo menos em Curitiba, não sei se em outras cidades também, com o tema: “Quero 30 homens presos”. É tão revoltante que a cadeia é muito pouco para esses vagabundos. Isso para mim é crime hediondo e a punição teria que ser muito, mas muito mais severa.
 

          Jogar esses bandidos na cadeia, eu e você teríamos que tratá-los a pão-de-ló, como é feito no Brasil em detrimento dos trabalhadores que labutam de sol a sol e muitas vezes não têm uma mistura para acompanhar o arroz e o feijão.
 

          Já postei no Recanto e em outros sites a crônica: “Existe bandido bom?” Lá eu defendo a pena de morte e deixo claro que a mesma na Bíblia Sagrada começou no tempo de Noé e continua depois de Cristo. Ele não aboliu a pena de morte, como muitos pregam. Em Apocalípse ele diz... Quem à espada ferir, com espada será ferido... Isso quer dizer, que continua para crimes hediondos.
 

          Quanto ao estupro se for seguido de morte, o estuprador deveria pagar com a vida, desde que houvesse provas da sua culpa. Se a vítima sobreviver, o castigo deveria ser a castração sem anestesia, assim como a punição dos pedófilos. Estes deveriam também ser castrados. Creio que voltariam a viver uma vida normal, mas pelo menos esse tipo de crime, nunca mais.
 

          Alguém pode dizer: Ah! Os direitos humanos! Mas esse direito tem que ser para pessoas de bem, e nunca para bandidos frios e calculistas. Se alguém tiver com dó, leve-os pra casa. Lá vai estuprar a esposa, a filha, a sobrinha...
 

          Esse é meu desabafo e o que eu acho.
 
(Christiano Nunes)
Christiano Nunes
Enviado por Christiano Nunes em 29/05/2016
Alterado em 29/05/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (www.christianonunes.recantodasletras.com.br). Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr