Textos


Imagem do Google - Gralha azul. Ave típica do Sul, reflorestadora dos pinheirais

VIROU POESIA
 
Da Terra de uvas e trigais
Minha doce lembrança
Do meu tempo de criança
Que não volta nunca mais
Cantava ali a gralha azul
Formando u’a bela orquestra
Divertida e linda festa
Eu nunca esqueço jamais.
 
Saboroso chimarrão
Num vai e vem daquela cuia
Debaixo do pé de imbuia
Ouvindo a linda canção
Nos pinheirais de araucárias
Ouvia com muito esmero

O grito do quero-quero
No fundo do *banhadão.
 
Assim vivo a nostalgia
De um tempo que já se foi
Do velho carro de boi
Que nos deu tanta alegria
Fecho os olhos para ouvir
Inda ouço nossa carroça

A ranger no meio da roça
E tudo virou poesia.
 
(Christiano Nunes)
 


*Banhado: Brejo (Sul do Brasil)
 

 
Christiano Nunes
Enviado por Christiano Nunes em 16/06/2017
Alterado em 17/06/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (www.christianonunes.recantodasletras.com.br). Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr