Textos


     Imagem do Google

                  VINTE E CINCO DE DEZEMBRO
 
          Quando  ouvimos poesias ou cânticos natalinos, normalmente nos comovemos. Sabemos que na verdade não existe nenhum mandado divino nas Escrituras Sagradas que ordene a prática de comemoração do Natal, mas nas entrelinhas podemos perceber claramente que a primeira vez o nascimento de Jesus foi comemorado no Céu. - Como assim? – Alguém questiona. A resposta quem nos dá é o escritor sagrado, Evangelista São Lucas no capítulo 2.
           Aos humildes pastores que cuidavam das ovelhas, na noite fria (não se sabe qual a data certa, mas foi convencionada que seria 25 de dezembro), um Anjo apareceu a esses trabalhadores da noite. Este anunciou que na cidade de Davi (Belém da Judeia) teria nascido o Cristo (Enviado de Deus). Em seguida uma milícia celestial, ou seja, vários anjos cantavam e adoravam ao Eterno, segundo o relato bíblico dizendo: “Glória a Deus nas alturas, paz na Terra aos homens de boa vontade, a quem Ele quer bem”.
            Em todo o mundo cristão é comemorado essa data tão importante que é o do nascimento do Mestre. Deixando de lado o verdadeiro comércio que virou tal comemoração, mas o principal foco do Natal nunca vai deixar de ser, Jesus Cristo de Nazaré.
 
(Christiano Nunes)
Christiano Nunes
Enviado por Christiano Nunes em 17/12/2018
Alterado em 20/12/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr